Consumo consciente: por que ele é tão importante?

 

Todo consumo causa impacto na economia, nas relações sociais e na natureza. Cada novo produto comprado representa um gasto adicional de recursos naturais e humanos, além do descarte do item que ele está substituindo. Ao ter consciência desses impactos na hora de escolher o que comprar, de quem comprar, como usar e como descartar o que não serve mais, o consumidor pode maximizar os impactos positivos e minimizar os negativos. Dessa forma, ele estará contribuindo com seu poder de escolha para construir um mundo mais sustentável. Isso é CONSUMO CONSCIENTE.

 

Veja dicas para praticar o consumo consciente

  • Planeje suas compras: não seja impulsivo. A impulsividade é inimiga do consumo consciente. Planeje antecipadamente e, com isso, compre menos e melhor.
  • Compre produtos de qualidade: produtos de qualidade podem ser mais caros. Mas, geralmente, eles duram muito mais que um produto de qualidade inferior, equilibrando a conta e demorando mais para virar resíduo.
  • Avalie os impactos de seu consumo: leve em consideração o meio ambiente e a sociedade em suas escolhas de consumo.
  • Consuma apenas o necessário: reflita sobre suas reais necessidades e avalie se você tem coisas que nem mesmo têm sido usadas. Antes de comprar, pergunte-se: preciso mesmo? E, lembre-se: desejo não é necessidade.
  • Evite o desperdício de alimentos: planeje as compras, fique de olho na validade dos produtos, não largue comida no prato. O desperdício de alimentos tem um grande impacto na emissão de gases de efeito estufa. Além disso, lembre-se de que comida desperdiçada é um desrespeito aos milhões de pessoas que passam fome no mundo.
  • Reutilize produtos e embalagens: aumente a vida útil do que pode ser transformado e reutilizado. Use a criatividade.
  • Utilize sacolas retornáveis e dispense embalagens desnecessárias: sacolas de supermercado e de lojas acabam virando lixo. Quando for às compras, leve sua própria sacola. E, ao comprar produtos a granel, se for possível, leve recipientes de casa para reduzir a necessidade de sacos de papel ou embalagens plásticas.
  • Separe seu lixo: recicle e contribua para a economia de recursos naturais, a redução da degradação ambiental e a geração de empregos. 
  • Procure conhecer o impacto dos produtos: Busque conhecer a origem e os processos de fabricação dos produtos que você compra e avalie os impactos ambientais que eles causam ao longo da sua vida útil, desde a extração das matérias-primas até o descarte final.
  • Conheça as práticas de responsabilidade social das empresas: em suas escolhas de consumo, não olhe apenas preço e qualidade do produto. Valorize as empresas em função de sua responsabilidade com os empregados, a sociedade e o meio ambiente. Sempre que possível, escolha comprar de produtores locais, que estão gerando empregos e impostos para a sua região. 
  • Não compre produtos piratas ou contrabandeados: compre sempre do comércio legalizado e, dessa forma, contribua para gerar empregos estáveis e para combater o crime organizado e a violência.
  • Contribua para a melhoria de produtos e serviços: adote uma postura ativa. Envie às empresas sugestões e críticas construtivas sobre seus produtos e serviços, levando em conta a sustentabilidade.
  • Divulgue o consumo consciente: seja um militante da causa. Sensibilize outros consumidores e dissemine informações, valores e práticas do consumo consciente. Monte grupos para mobilizar seus familiares, amigos e pessoas mais próximas.
  • Cobre do poder público: seja protagonista na sua comunidade e exija de candidatos e políticos propostas e ações que viabilizem e aprofundem a prática de consumo consciente.
  • Reflita sobre seus valores: avalie constantemente os princípios que guiam suas escolhas e seus hábitos de consumo. 

 

O movimento Lixo Zero

Fazer os próprios produtos de limpeza, praticar compostagem, evitar o uso de descartáveis, levar as próprias embalagens: eis algumas das atitudes tomadas pelos praticantes do Lixo Zero (Zero Waste, no inglês). O movimento, que promove gerar o mínimo possível de descarte, tem adeptos no mundo inteiro e vem crescendo inclusive no Brasil.  Os praticantes levam o movimento como um estilo de vida e são inúmeros os blogs, perfis no Instagram e, principalmente, canais no Youtube divulgando atitudes e compartilhando práticas e dicas para quem quer gerar nenhum ou quase nenhum lixo.

Segundo o conceito estabelecido pela ZWIA (Zero Waste International Alliance), lixo zero é uma meta ética, econômica, eficiente e visionária para guiar as pessoas a mudar seus modos de vida e práticas, de forma a incentivar os ciclos naturais sustentáveis, onde todos os materiais são projetados para permitir sua recuperação e uso pós-consumo (ver tópico “Economia Circular”, na Biblioteca).

— Conheça no Youtube o canal da Cristal Muniz: https://www.youtube.com/channel/UC2zkjVxMQ1exfb5GsUYmSBg . Ela também é dona do blog Uma vida sem lixo (https://umavidasemlixo.com) e compartilha, em texto e vídeo, sua jornada por uma vida sem lixo.

 

 

Para saber mais

  • Já somos mais de 7 bilhões de pessoas vivendo no mesmo planeta. E, para isso, precisamos consumir recursos básicos, como água, energia, alimentos, vestuário, cuidados com a saúde, educação, entre outros. A cada ano, o Dia da Sobrecarga da Terra, que marca o dia em que já consumimos todos os recursos naturais disponíveis, chega mais cedo — em 2020, ele chegou no dia 22 de agosto. Sim, precisamos do consumo para poder sobreviver. Mas, da forma como vivemos hoje, ultrapassamos o limite do possível. Assista ao vídeo Consumo Responsável, disponível no canal do Programa Água Brasil no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=KlV3ASpM19M O vídeo usa o conceito de 5Rs, mas sabemos que já é possível pensar em 7Rs. (ver o tópico “Os 7Rs”, na Biblioteca)

 

 

Para refletir

  • O consumo no mundo está descontrolado: estamos esgotando em apenas 8 meses os recursos naturais que o planeta tem capacidade de regenerar em um ano. Isto significa que precisaríamos de 1,6 planeta Terra para suprir nossa demanda atual por recursos naturais.
  • Além de descontrolado, o consumo está mal distribuído: cerca de 20% da população mundial (notadamente em países desenvolvidos) concentra o consumo de 80% de todos os produtos e serviços do planeta.

 

 


FONTES

akatu.org.br
begreen.eco.br
Canal Programa Água Brasil, no Youtube
ciclovivo.com.br
ecycle.com.br
lixozero.guarulhos.sp.gov.br
menos1lixo.com.br
porfavormenoslixo.com.br
revistagalileu.globo.com
sustentaacoes.com
wwf.org.br
www.mma.gov.br