Referências

DE ONDE VEM O LIXO?

Produzir resíduo é inerente à atividade humana. Mas ele passou a ser um problema quando deixou de ser absorvido pelos ciclos naturais. Essa mudança se deve, principalmente, a três fatores:

Mais pessoas
Desde a pré-história até a Idade Média, a população mundial não ultrapassou os 500 milhões de habitantes. Trezentos anos depois (1825), a taxa demográfica mundial era de 1 bilhão de pessoas. O tempo necessário para dobrar o número de habitantes da Terra foi diminuindo e, em 1954, a população já era de 3 bilhões. Hoje, somos 7,2 bilhões de pessoas (ONU 2011). Além do aumento na taxa de nascimentos, a diminuição da mortalidade e o aumento da expectativa de vida são os principais fatores para a superpopulação, fruto dos avanços da saúde e da melhoria da qualidade de vida.

Maior produção
A revolução industrial transformou o jeito de produzir. O que era artesanal e de baixa escala ganhou força com a utilização de novos processos de extração da matéria-prima e produção. Houve mais oferta de empregos e de bens de consumo nas cidades e a, consequentemente, migração do campo. Segundo a ONU (2014), 54% das pessoas do mundo vivem nas cidades. No Brasil, são mais de 84% (IBGE 2010). O consumidor está mais longe da produção e os produtos precisam ser embalados, conservados e transportados. O resultado é o maior uso de recursos naturais e geração de resíduos.

Mais consumo
O aumento da produção, aliado ao modo de vida nas cidades, fez com que a população consumisse mais e de forma mais rápida. Produtos que antes eram feitos para durar, ou reutilizar, passaram a ser substituídos por descartáveis. Os motivos de consumo passaram a ter um sentido maior do que satisfazer as necessidades de moradia, vestuário, alimentação, transporte e lazer, tornando-se um indicador de status social. Assim, produtos ainda úteis são facilmente descartados.

ECONOMIA CIRCULAR

Se os ciclos naturais são restaurativos, os ciclos de produção, que são gerados a partir de recursos naturais finitos, também devem respeitar este princípio.

A partir dessa observação, surgiu o conceito de economia circular. A Fundação Ellen MacArthur, uma das pioneiras em pesquisas de sustentabilidade, define a economia circular como “regenerativa e restaurativa por princípio. Seu objetivo é manter produtos, componentes e materiais em seu mais alto nível de utilidade e valor o tempo todo.”

A instituição produziu uma série de materiais sobre o assunto, inclusive com atividades e dicas de como trabalhar o tema com os alunos. Confira aqui!

COLETA SELETIVA

Quando acondicionados todos juntos, os resíduos viram lixo. Isso porque a matéria orgânica contamina as embalagens, muitas vezes, inviabilizando a reciclagem. Dessa forma, vale reafirmar que para que o resíduo possa ser reaproveitado, ele deve ser separado e coletado de forma separada. Surge, assim, o que chamamos de coleta seletiva.

CADEIA DE RECICLAGEM DA ARCELORMITTAL NO BRASIL

Quando encaminhamos algo para a reciclagem, uma nova vida começa para o que jogamos fora. Reciclar também economiza água, energia e matéria-prima. Vejamos como exemplo o caso do aço produzido pela ArcelorMittal.

O aço é uma liga formada essencialmente por ferro, carbono e outros elementos. Essa mistura, submetida a altas temperaturas, é moldada e laminada, transformando-se nos produtos que utilizamos no nosso cotidiano. A ArcelorMittal produz aços longos, utilizados na fabricação de arames, pregos, viga, entre outros; e aços planos, utilizados na fabricação de automóveis, eletrodomésticos e outros.

Quando a produção de aço ocorre a partir da matéria-prima virgem, utiliza-se, principalmente, o minério de ferro e o carvão mineral (contido nas rochas). Em alguns casos, utiliza-se o carvão vegetal (obtido pela extração e queima de árvores). O carvão auxilia a mistura a alcançar altas temperaturas, necessárias à fusão do minério, e funciona como um redutor, pois associa-se ao oxigênio que se desprende do minério, deixando o ferro livre. Esse processo ocorre em grandes estruturas – altos fornos –, formando um produto base chamado ferro gusa. Esse produto é encaminhado para uma segunda estrutura chamada forno elétrico a arco. Lá, ele é misturado ao aço obtido a partir da reciclagem e depois vai para um terceiro forno (forno panela), onde recebe os ajustes finais da liga. Após esse processo, é encaminhado a máquinas que moldam o aço de acordo com a sua finalidade de uso.

No processo de reciclagem do aço, as sucatas são encaminhadas diretamente ao forno elétrico arco, eliminando o gasto energético empregado nos altos fornos. Outras vantagens são a menor produção de gases nitrogenados e sulfurados oriundos da redução do minério e uma menor quantidade de material secundário que não é aproveitado no processo.

PROFISSÕES VERDES

Em um mundo que busca reinventar a economia, adotando um sistema circular de produção, as atividades relacionadas à sustentabilidade são apontadas em todas as pesquisas sobre o tema como as profissões do futuro. Segundo o Programa de Meio Ambiente das Nações Unidas, metade dos 20 milhões de empregos que surgirão, até 2030, serão verdes. Confira!